Bem-vindo ao insight space Deallink

Um Data room virtual completo e seguro que atende todas as necessidades de um processo de M&A

Private equity: vantagens e o papel no crescimento da empresa

Private equity: vantagens e o papel no crescimento da empresa

O private equity é uma modalidade de investimento muito comum que traz reais benefícios para empresas em busca de crescimento. Para saber realmente como realizá-lo, é importante conhecer bem a empresa-alvo e avaliar os possíveis riscos com cuidado. Além disso, é fundamental que os interesses dos envolvidos estejam alinhados para que essa negociação seja bem-sucedida.

Quer saber mais sobre esse tipo de aplicação e suas vantagens? Então acompanhe o artigo a seguir.

O que é private equity?

O private equity é uma forma de investimento de alto risco em que uma gestora compra parte de uma empresa, com o objetivo de aumentar o valor dela. Nessa modalidade, a companhia que investe passa a ter participação ativa na gestão da outra organização, com compartilhamento dos riscos e das decisões.

Depois de adquirir parte das ações, a entidade investidora pode ou não vender essa parcela no futuro. Geralmente, as companhias que se tornam alvo de private equity já estão consolidadas no mercado, com um bom faturamento mensal e porte médio. Os objetivos usualmente são reestruturação dos negócios, aumento da consolidação, expansão para mercados distintos ou desenvolvimento da margem de lucro.

A empresa que compra as ações deve agregar expertise e contribuir com a administração da organização-alvo, com o objetivo de colaborar com o crescimento em um prazo curto. Diferentemente de outros tipos de negociações, nesse modelo, as corporações se envolvem bastante e devem se alinhar de maneira mais próxima para otimizar os resultados.

Qual a diferença para venture capital?

Venture capital (VC) é um tipo de investimento muito semelhante que envolve compra de ações de outras companhias também. No entanto, a principal diferença para o private equity (PE) é que VC se aplica a empresas iniciantes e emergentes, geralmente startups com um grande potencial no começo da jornada de ascensão.

Os dois são caracterizados por uma participação mais ativa do investidor, que envolve o auxílio na estratégia e na gestão. No venture capital, a expectativa de aumento dos lucros é bem maior, visto que o principal propósito da parceria é esse.

Contudo o risco também é maior, já que a companhia ainda está no início, em fase de experimentar abordagens e estratégias a fim de conquistar um mercado. No PE, o alvo é um negócio consolidado, com uma margem interessante de lucro e, portanto, um perigo menor.

Por outro lado, o investimento em private equity pode ser para alcançar uma expansão da organização e tentar novos mercados, o que aumenta o risco. Ambos são aplicações a longo prazo e com liquidez baixa, o que os diferencia dos tipos mais comuns de baixo risco, como a renda fixa.

Quais as vantagens do private equity?

Agora, veremos as vantagens para as empresas que recebem esse tipo de incentivo.

Agregação de recursos e conhecimento

Em negociações de private equity, as companhias que decidem investir também costumam agregar recursos e expertise para a gestão do negócio-alvo. Assim, eles podem contribuir ativamente com o crescimento, garantindo que a quantia injetada seja valorizada e que os objetivos da parceria sejam alcançados com sucesso.

Ou seja, existe uma certa liberdade para decisões em conjunto e estratégias elaboradas por todos os envolvidos. Assim, a organização que recebe o investimento é capaz de aumentar seus lucros de maneira mais simples e rápida.

Maximização do valor

Outra das vantagens é o fato de que, com o apoio da empresa investidora, seus recursos, estratégias e pessoal, o valor da companhia-alvo é maximizado. Assim, a organização cresce no mercado, passa a valer mais e ganha mais credibilidade e autoridade no segmento, o que assegura lucro para todos os interessados. A imagem da companhia melhora, o que ajuda a atrair mais clientes e outros investidores também.

Otimização da gestão

Outro fator é a melhoria notável na gestão. Uma vez que existem duas empresas trabalhando juntas, com estratégias alinhadas, fica mais fácil gerenciar os aspectos do negócio e administrar o que é necessário a fim de sobreviver e evoluir. Dessa forma, é possível eliminar riscos, com uma gestão completa e holística.

Sustentabilidade do negócio

O negócio fica mais sustentável, uma vez que os esforços estão devidamente alinhados, e todos os envolvidos trabalham juntamente para alcançar os resultados. Assim, a empresa não somente ganha condições para crescer, como permanece mais firme diante da dinâmica do mercado e se mantém forte em evolução contínua.

Profissionalização da equipe

Da mesma forma, a equipe interna se torna mais profissional com o contato com outros membros e abordagens diferenciadas. As expertises das companhias se combinam, e os colaboradores aprendem mais acerca do segmento em que atuam e se qualificam sobre a função deles.

Ou seja, o relacionamento com outros funcionários serve também como um treinamento. Isso tudo coopera para resultados cada vez mais consistentes que estão associados aos outros benefícios citados.

Nível de competitividade

Outro aspecto que vale citar é o aumento de competitividade do negócio. Com as vantagens mencionadas e o investimento de diferentes profissionais especialmente capacitados, a empresa consegue dar passos maiores rumo a novos níveis, adotar tecnologias diferenciadas e conquistar os consumidores de uma maneira especial e única.

Assim, ela se destaca no mercado e desenvolve uma base maior de clientes com produtos e serviços otimizados às suas necessidades.

Abertura a novos mercados

O private equity é uma modalidade interessante para permitir que organizações de médio porte experimentem novos mercados. O incentivo financeiro e o apoio externo contribuem para que o esforço seja menor e para que as chances de acerto sejam maiores. É possível planejar bem, aplicar estratégias e abordagens inovadoras e buscar se destacar em novos segmentos, aproveitando oportunidades existentes.

Em alguns casos, o investidor ajuda a conquistar os mercados nos quais ele está inserido, por exemplo. Essa troca de experiências é importante para todas as partes da parceria. Com o sucesso nessa tentativa, todos os envolvidos são ativamente beneficiados.

O modelo private equity é conhecido por ser muito bom para empresas que precisam se reformular, expandir os negócios, se consolidar ou garantir a sustentabilidade.

É indicado para organizações de médio porte, com alguma porcentagem de lucro interessante, mas ainda assim é um investimento de alto risco. No entanto, esse perigo é compensado, como vimos, por uma série de benefícios concretos para todos os envolvidos.

Gostou de aprender mais sobre private equity? Então aproveite para entender como o suporte especializado auxilia no sucesso da estratégia.

insight space

Os comentários estão fechados.