Entenda o que é M&A e como esse processo funciona

7 minutos para ler

Transações M&A constituem uma ótima estratégia para otimizar a eficiência dos processos de uma empresa e impulsionar o crescimento de maneira mais rápida. Diante das crises e mudanças no mercado, elas têm sido uma das principais escolhas de gestores que desejam melhorias nos seus resultados.

Por isso, profissionais do mercado financeiro precisam saber como realizar essas transações com sucesso, com um bom controle de custos, agilidade e segurança. Se quiser saber o que é M&A e como funciona uma operação do tipo, não deixe de acompanhar os tópicos deste artigo.

O que é M&A?

M&A é uma sigla para Mergers & Acquisitions, ou, em português, Fusões e Aquisições. São transações financeiras que ocorrem entre companhias de todos os níveis e tamanhos. O objetivo é consolidar o negócio e expandir, garantindo melhorias significativas que exploraremos ao longo deste conteúdo.

Diversas motivações levam as empresas a operações dessa natureza. A crise econômica é uma delas. Diante da limitação de oportunidades, os gestores decidem começar parcerias com outras organizações a fim de explorar novos espaços. Nesses casos, essas operações são as melhores estratégias para alavancar o crescimento.

Vamos, então, definir as partes. A fusão é um processo que envolve a união entre duas marcas para originar uma nova. Geralmente, há um aumento de valor na parceria, e as companhias antigas desaparecem a fim de concentrar o foco na nova entidade. Evidentemente, existe um risco associado, mas dá para contar com o dobro do time de colaboradores para lidar com isso.

A aquisição, por outro lado, ocorre quando uma companhia compra a outra. Uma se torna mais forte, com a aglomeração da força de trabalho e da experiência de outra organização. O perigo é um pouco menor, e a entidade compradora também conta com mais recursos para otimizar o retorno sobre o investimento realizado.

Essas abordagens não somente funcionam com os motivos mencionados, mas também como uma forma de adaptar os negócios à demanda do mundo moderno, dominado por novos hábitos de consumo e uma nova postura dos clientes. Assim, é também uma maneira interessante de aplicar inovação.

Como funciona um processo de M&A?

Os dois processos podem ocorrer entre empresas de tamanho totalmente diferentes, no entanto, as fusões comumente acontecem entre companhias do mesmo nível.

Contudo não são exclusividade de grandes organizações. Atualmente, com o apoio da tecnologia, é possível realizar esse tipo de operação com maior facilidade, e isso democratizou a demanda por M&A.

As aquisições se dividem em alguns tipos. São eles:

  • horizontal — ocorre quando uma empresa compra um competidor direto, com o objetivo de eliminar a concorrência;
  • vertical — quando uma companhia compra uma fornecedora ou consumidora de seus produtos/serviços;
  • diversificada — acontece quando há aquisição de uma entidade em um ramo totalmente diferente;
  • private equity — compra estruturada com fundo de capital como forma de investimento.

Já a fusão pode ser classificada em dois tipos:

  • extensão de mercado — duas empresas produzem os mesmos tipos de produtos em mercados distintos, então, se unem para expandir resultados;
  • extensão de produto — duas organizações com produtos similares e operações no mesmo segmento.

Etapas

Um processo M&A é estruturado em etapas bem definidas. Não é uma operação simples, mas é possível obter controle das fases e garantir resultados de qualidade com organização e transparência.

Uma das etapas dedica-se à análise estratégica, por exemplo. Nesse momento, se é uma aquisição, a organização investidora deve compreender os pontos fortes e fracos do alvo, entender seus diferenciais, oportunidades e quais os riscos do negócio e segmento em que ele está envolvido. No caso de uma fusão, cada uma das entidades deve realizar essa investigação.

Existe também a fase de auditoria, também chamada de due diligence. Esse momento envolve uma análise profunda de questões legais, financeiras, fiscais e operacionais da companhia que vai participar da transação.

Assim, é possível determinar o valor da empresa-alvo, por exemplo, a partir do estudo das condições em que ela se encontra. É preciso compreender as projeções financeiras, o lucro, as vendas e o balanço de cada mês.

Da mesma forma, é importante examinar questões contratuais, como problemas trabalhistas e tributários, além de dívidas. Com isso em mãos, as partes podem começar a documentar o processo e buscar as regulamentações ideais para formalizar a negociação, com o acordo de valor definido.

Quais as vantagens competitivas de um processo de M&A?

Como já falamos, esse tipo de processo envolve alguns riscos, mas os compensa com muitas vantagens. Neste tópico, aprofundaremos essa questão.

Know how

Uma das principais características é a união entre a expertise de duas entidades, o que gera um aumento no know how.

Depois de uma fusão/aquisição, a empresa contará com o apoio de mais colaboradores especialistas, preparados para lidar com as situações dia a dia e oferecer soluções para problemas comuns. Assim, será possível investir em estratégias inteligentes e otimizar os resultados, além de reduzir custos.

Se há maior know how, há mais precisão. Os funcionários conseguirão executar as operações com uma qualidade maior e uma visão mais profunda. No caso de setores como marketing e vendas, é possível alcançar uma leitura de mercado mais consistente e ampla, com acesso a mais dados relevantes.

Acesso à tecnologia

Outra vantagem: o acesso a novas tecnologias. Unir-se a outra companhia mais nova, por exemplo, é uma estratégia interessante, pois a entidade resultante vai dispor de novos métodos de trabalho e ferramentas mais modernas, e isso ajuda a otimizar os produtos/serviços e a gerar eficiência interna.

Ou seja, a empresa terá acesso a uma infraestrutura inteira e ao conjunto de aplicações e sistemas de outra, sem precisar pagar por elas. Com a compra ou fusão, os ativos são unidos para reforçar o poder de processamento e contribuir com mais agilidade para as operações diárias.

Expansão de mercado

Se a empresa X compra a companhia Y ou ambas entram em processo de fusão, os clientes de X e Y passam a ser compartilhados. Por isso, há expansão de mercado, uma vez que uma marca começa a dominar áreas ainda não exploradas e a promover o seu nome para pessoas que ainda não conheciam.

Mesmo em caso de fusões de companhias similares, as pessoas que preferiam negociar exclusivamente com uma delas se tornarão clientes da nova organização. Essa é uma ótima forma de crescer e expandir atividades, com alcance de outros mercados, tanto geograficamente quanto em termos de segmento.

Crescimento rápido

Processos M&A proporcionam um crescimento rápido, pois unem as forças de organizações já consolidadas. Mesmo que alguma delas esteja enfrentando algum problema, a união entre as forças de trabalho e tecnologias permite alcançar metas e objetivos com maior velocidade e menos esforço.

Fusões e aquisições são operações comuns que desencadeiam benefícios completos e impactantes para empresas. Por essa razão, é importante atentar para esse conceito e preparar-se para auxiliar as companhias na busca por organização e melhores resultados no andamento da transação. Entender o que é M&A, com artigos como este, é um ótimo começo.

Agora que você já sabe mais sobre o assunto, continue acompanhando os nossos conteúdos ao assinar a nossa newsletter!

Posts relacionados