O que é IPO? Entenda como funciona e se vale a pena investir nele!

7 minutos para ler

Você sabe o que é IPO? Para quem trabalha com investimentos ou mesmo na administração de grandes negócios, conhecer as bases das rotinas de abertura de capital é algo fundamental. O momento em que uma empresa coloca-se na Bolsa de Valores, muitas vezes, é tão importante para a sua história quanto a execução de projetos de M&A.

Mas para que um IPO dê certo todos os envolvidos devem estar preparados para lidar com os desafios dessa estratégia. Isso garantirá que investidores e gestores obterão os melhores resultados possíveis, além de evitar riscos e erros comuns.

Para ajudar você a compreender melhor o que é IPO e por qual motivo empresas optam pela abertura de seu capital, preparamos o texto a seguir. Continue a leitura e saiba mais sobre o tema!

O que é IPO?

IPO é a sigla para o termo Initial Public Offering (termo que pode ser traduzido para o português como Oferta Pública Inicial). Esse é o processo em que uma empresa se torna uma companhia de capital aberto, com ações negociadas na Bolsa de Valores.

Em outras palavras, o IPO é o processo em que negócios mudam a sua estrutura para terem partes de seu capital negociado como ações. Isso dará a investidores a possibilidade de adquirirem partes do negócio e obterem parte dos lucros alcançados a médio e longo prazo.

Quando o IPO ocorre, portanto, o negócio deixa de ser pertencente a apenas um grupo limitado de investidores. As partes societárias serão negociadas na Bolsa de Valores ou mesmo em mercados de ações de outros países. Desse modelo, o empreendimento terá sócios anônimos em vários locais (justamente por isso a empresa passará a ser classificada como uma Sociedade Anômica de capital aberto).

Por que uma empresa realiza o IPO?

O IPO é um processo que já foi executado por empresas de todo o planeta. Um dos principais motivos para negócios optarem por esse processo é o levantamento de mais capital sem alto custo. Com as novas receitas, a companhia pode executar novos projetos, como os de M&A ou mesmo o investimento em novos produtos.

Há também a possibilidade de internacionalizar o empreendimento. Assim como ocorre em projetos de fusão e aquisição, a abertura de capital auxilia o negócio a encontrar novos consumidores e, ao mesmo tempo, a entrar em novos mercados. Deste modo, a companhia poderá ampliar as suas receitas e ser mais competitiva.

Quando participa da Bolsa de Valores, a empresa também pode gerar mais confiabilidade para investidores e do mercado. A sua estrutura financeira, as práticas de governança e processos de compliance terão um maior nível de transparência. Além disso, os mecanismos de controle serão mais amplo, o que protege investidores e evita que problemas sejam ignorados.

A longo prazo, isso tornará menor os custos para obter empréstimos e receitas no mercado. A empresa poderá, portanto, manter uma estrutura financeira flexível, dinâmica e capaz de lidar facilmente com novos desafios, como fusões e aquisições, mudanças da estrutura interna ou mesmo a criação de novos produtos.

Como a abertura de capital ocorre?

A abertura de capital é um processo longo e que as vezes pode demorar até mais do que um ano. Ele é moldado para evitar problemas de transparência, garantir que todos os dados relevantes sejam levantados e o negócio consiga fortalecer a sua marca diante do mercado. Por isso, profissionais de vários setores são integrado ao projeto para diminuir riscos e dar a ele o máximo de qualidade.

Os times que atuam em projetos de abertura de capital envolvem profissionais do setor bancário, advogados, contadores, especialistas tributários, analistas da Comissão de Valores Mobiliários e líderes empresariais. Juntos, eles levantarão dados, avaliarão as políticas de compliance existentes e identificarão as possibilidades para a empresa nos próximos anos. Desse modo, será possível apresentar um prospecto para investidores em potencial que seja competitivo.

O prospecto é divulgado para investidores e contém vários dados sobre a empresa. Demonstrações contábeis dos últimos anos, processos judiciais, ativos e passivos são alguns deles. Caberá aos participantes fazerem sugestões e comentários para otimizar o documento.

Após este momento, o time terá os contratos de transição de propriedade e submeterá as demonstrações financeiras para uma auditoria externa. Isso dará validade para os documentos, assim como o reconhecimento de acionistas de que o negócio tem uma estrutura sólida.

Os dados do relatório final do processo de auditoria serão avaliados pela equipe e pela Comissão de Valores Mobiliários. Isso permitirá ao negócio receber a autorização para ser incluído na Bolsa de Valores, assim como identificar melhorias a serem feitas.

Por fim, o negócio realiza o depósito do prospecto junto à CVM. Executada essa etapa, a companhia pode realizar o anúncio do seu IPO na imprensa e ser negociada no mercado.

Vale a pena investir no IPO?

Em muitos casos, o IPO é feito inicialmente para um grupo de investidores convidados, porém isso não impede de um investidor obter acesso antecipado às ações e ser um dos primeiros a negociá-las na Bolsa de Valores.

Para muitos profissionais que atuam com a gestão de investimentos, isso é uma grande oportunidade. Ter acesso às ações de uma empresa com grande potencial logo após ela ter as suas ações colocadas à venda representa a chance de obter grandes lucros. Afinal, você conseguirá adquirir a sua parte do negócio antes que as ações se valorizem.

Por isso, sempre considere a possibilidade de investir em ações da Bolsa quando há a oferta de IPO. Desse modo, você conseguirá identificar boas oportunidades de maximizar as receitas da sua carteira sempre.

Como investir em IPO na bolsa de valores?

Para investir em um IPO na Bolsa de Valores, alguns passos são necessários. Eles garantem ao investir a habilidade de encontrar uma boa oportunidade de investimento, além de evitar prejuízos. São eles:

  1. escolha uma empresa;
  2. faça uma análise cuidadosa do demonstrativo financeiro do negócio;
  3. forneça uma oferta de reserva das ações para a corretora de valores que está participando do IPO;
  4. faça o pagamento das ações e comece a negociação no mercado secundário.

Quem acompanha o mercado financeiro sabe que processos de abertura de capital são comuns em todo o mundo. Empresas de grande porte, startups ou estatais que estão sendo privatizadas realizam IPOs para se colocarem na Bolsa de Valores, obterem capital e conseguirem executar projetos.

Nesse cenário, saber o que é IPO e todos os detalhes desta atividade é algo fundamental para quem está envolvido em qualquer um dos lados desse tipo de projeto. Isso garantirá a investidores e líderes empresariais a capacidade de avaliar riscos, otimizar escolhas e tomar decisões mais robustas e capazes de atraírem resultados financeiros adequados. Desse modo, todos poderão alcançar os seus objetivos e manter lucros em alta.

Gostou da dica deste post? Então assine agora a newsletter do blog para receber as novidades futuras em primeira mão!

Posts relacionados