O que é Due Diligence e como ela garante um M&A de sucesso

6 minutos para ler

A economia brasileira está dominada por processos de M&A? Nesse cenário, saber o que é Due Diligence é algo chave. Esse procedimento tem uma grande importância para auxiliar o negócio a identificar oportunidades e a avaliar a melhor hora de começar um investimento.

Com a Due Diligence, a empresa pode evitar riscos e dar mais segurança para as suas decisões. O número de dados disponíveis para os gestores será ampliado, tornando a decisão de executar projetos de fusão e aquisição mais robustos e confiáveis.

Se você quer saber mais sobre o que é Due Diligence e como ela pode te ajudar a prevenir prejuízos, continue a leitura do texto abaixo!

O que é Due Diligence

O processo de Due Diligence é uma das primeiras etapas de projetos de fusão e aquisição. Nesse processo, o gestor fará um levantamento de dados capazes de identificar se há viabilidade financeira que justifique a operação. Desse modo, riscos podem ser evitados e a empresa conseguirá se manter competitiva sem comprometer o seu futuro.

Na Due Diligence, os profissionais de gestão e analistas farão um levantamento de dados sobre todo o negócio. Isso envolverá a busca por dados de pontos da estrutura financeira e contábil da empresa como:

  • dados sobre dívidas ativas;
  • nível de endividamento de clientes;
  • informações sobre os ativos e passivos do negócio;
  • registros sobre o histórico de vendas da companhia;
  • informações sobre o perfil operacional do negócio (dados administrativos, trabalhistas, contábeis, tributários e previdenciários);
  • dados sobre os processos judiciais em curso.

O Due Diligence não é executado apenas no momento em que o negócio pretende executar projetos de fusão e aquisição. Ela também pode ser executada para a abertura de capital (IPO), melhoria de práticas de governança corporativa ou reestruturação societária.

Como o Due Diligence evita problemas?

A Due Diligence tem um papel-chave para auxiliar negócios a terem mais dados para tomar decisões. Nos projetos de fusão e aquisição, elas dão ao gestor as informações necessárias para executar uma decisão robusta: será mais fácil avaliar todos os riscos e possíveis prejuízos que a ação envolverá.

O maior número de dados disponíveis tornará, como consequência, todas as ações e decisões mais robustas. Durante a execução dos projetos de fusão e aquisição, a empresa poderá executar melhorias e aplicar medidas de governança mais precisas. Além disso, o time será capaz de adaptar o ambiente corporativo para garantir que boas práticas sejam comuns e, com isso, todos possam ampliar os retornos sobre os investimentos realizados.

Quais são as etapas necessárias para executar a Due Diligence?

Diante da importância que a Due Diligence tem para os processos de tomada de decisão durante projetos de fusão e aquisição, é fundamental que ela seja bem executada. Em geral, ele é feito por três etapas, com a participação de todas as principais equipes, líderes e analistas do negócio.

Diante disso, é fundamental que não só as equipes saibam o que é Due Diligence, mas também os seus objetivos. Desse modo, os grupos participantes ficarão engajados na entrega de resultados e auxiliarão no levantamento de dados de maneira transparente e confiável. Veja a seguir os passos para a execução de um bom levantamento e análise de dados!

Faça entrevistas e análises de dados corporativos

Assim que o negócio iniciar o processo de Due Diligente, todos os dados relevantes do negócio devem ser levantados pela equipe. Livros fiscais, balanços patrimoniais, registros em sistemas de gestão integrada e as documentações sobre as políticas de compliance e de governança precisam são utilizados neste momento.

O levantamento deverá ser executado com uma visão de longo prazo. A empresa precisa identificar tendências que só são possíveis quando se avalia os registros considerando um histórico longo. Portanto, fique atento a isso.

Também é importante realizar uma comunicação contínua com os profissionais contratados. Esse processo reforçará a habilidade de a empresa conseguir registros relevantes, compreender como a empresa é estruturada e avaliar de um modo abrangente todos os dados existentes. Ou seja, dará aos analistas a capacidade de avaliar o estado real do negócio.

Unificação dos dados relevantes

Uma vez que os dados são levantados, a equipe responsável deverá unificar os dados em um documento que destaque todos os pontos relevantes. O nível de eficiência das operações internas e os processos judiciais em curso, por exemplo, precisam ser apontados.

Ao mesmo tempo, as boas práticas e fluxos de receitas contínuos devem ser apontados. Identificar esses pontos auxilia o gestor a avaliar o potencial de lucro que pode ser obtido em projetos de fusão e aquisição, além de auxiliar a verificar pontos positivos.

Avaliação dos dados existentes

Uma vez que todos os dados obtidos forem unificados, o gestor deverá avaliar a viabilidade do processo de M&A. Essa é uma análise de registros crítica, pois permite ao negócio obter insights sobre o que deve ser otimizado, os riscos existentes e as chances de prejuízos ocorrerem. Deste modo, a tomada de decisão conseguirá obter um nível de confiabilidade muito maior.

Durante projetos de fusão e aquisição, ter uma boa capacidade de identificar oportunidades e avaliar riscos é algo crucial. A empresa deve ter uma visão estratégica sobre todos os pontos que impactarão no sucesso da sua iniciativa, além de ser capaz de avaliar quando é a melhor hora de realizar uma incorporação. Mas isso só é possível quando os times tem os dados certos à sua mão.

Com o Due Diligence, o negócio poderá obter os dados necessários para identificar o potencial de uma operação de maneira precisa e abrangente. A companhia conseguirá identificar rapidamente os pontos negativos e positivos da estrutura do negócio que será adquirido, assim como projeções de receitas e práticas que podem ser incorporadas. Ao mesmo tempo, conseguirá avaliar o que deve ser otimizado para maximizar as receitas obtidas.

Por isso, saber o que é Due Diligence e como ele afeta as suas decisões é fundamentais. A incorporação dessa prática no dia a dia do gestor auxiliará as equipes a avaliar a melhor abordagem para executar projetos de fusão e aquisição e, assim, garantir que as suas metas sejam alcançadas. Por isso, sempre invista nessa abordagem para evitar surpresas em seus investimentos.

Quais estratégias a sua empresa usa para otimizar as decisões em grandes investimentos? Confira no nosso post de hoje!

Posts relacionados