As fusões e aquisições de franquias têm se intensificado nos últimos anos por meio de private equity e pelas formações de holdings, como o Grupo Trigo, que abrange as marcas Spoleto, Koni e Domino’s.

As empresas buscam crescimento rápido, manutenção da competitividade e sobrevivência perante a crise — o momento é ideal para empresas que aproveitam os movimentos de aquisições para abocanhar negócios que atuam no limite de sua capacidade financeira ou sem estruturação, apesar da sua iminente lucratividade.

Veja como fusões e aquisições são vantajosas para o segmento de franchising, para os compradores e os desafios dessa transação!

O que atrai os fundos de investimento para o franchising?

A atratividade das franquias está no fato de que transmitem a imagem de corporação sólida, bem estruturada, de clientela cativa e com bons resultados financeiros.

Redes já consolidadas adquirem as menores com o objetivo de oferecer aos franqueados a continuidade de seus negócios, seja com a ampliação do seu portfólio ou com a recuperação financeira.

Mas os fundos de investimento também atuam estrategicamente para benefício próprio, para conquistar um market share de difícil penetração, por ter como concorrente uma marca já estabelecida, por exemplo.

Outros, visam se beneficiar, em longo prazo, com a reestruturação organizacional e restabelecimento da marca para uma posterior venda de ações lucrativa a novos investidores.

A solidez da marca das redes de franquias é um fator que otimiza a lucratividade da adquirente: após ganhos de escala e a injeção de capital, elas se tornam altamente atrativas e podem ser vendidas por um valor superior ao que foram compradas.

Quais as vantagens das fusões e aquisições de franquias para os adquirentes?

As redes de franchising percebem as vantagens de aprovarem transações de M&A, ao mesmo tempo que as grandes corporações enxergam nas franquias a oportunidade de agregar valor a suas marcas:

  • crescer rapidamente, mas de forma estruturada;
  • participar de negócios já testados e validados pelo mercado e pelo consumidor final;
  • expandir com participação em mercados inatingíveis organicamente;
  • aproveitar capital intelectual e infraestrutura;
  • manter competitividade no seu mercado de atuação;
  • ampliar a carteira de produtos e negócios;
  • obter lucro em negócios em constante crescimento;
  • facilidade de acesso ao capital investidor.

Um benefício que merece maior atenção pela sua importância estratégica é a facilidade na prospecção de novos franqueados. Isso porque, com aumento de visibilidade e ganho de eficiência, a marca ganha força e valor de mercado, além de mais ofertas de investimento.

Assim, facilmente consegue variar seu portfólio e encontrar novos meios de aumentar sua capacidade de venda, principalmente porque são potencializadas as oportunidades de negócios (uma nova fusão e aquisição, por exemplo) com outras empresas interessadas em participar desse crescimento.

O conglomerado, então, tem maior poder de negociação com fornecedores e parceiros de negócio em geral, incrementando, assim, seus ganhos financeiros.

Além disso, ele cria barreiras para o crescimento de seus concorrentes, já que o negócio se torna referência em seu mercado de atuação, movimento que dificilmente aconteceria com um volume menor de unidades.

Planos de expansão se tornam mais viáveis e menos onerosos, já que a empresa conta com know-how e capacidade de investimento. Outra vantagem é a pulverização com gastos de marketing e treinamento de funcionários.

Powered by Rock Convert

Outra grande vantagem é a proteção financeira em momentos de crise econômica, viabilizada pela atuação de diferentes marcas do conglomerado no mercado. Mesmo que uma empresa entre o mix do portfólio não tenha resultados muito positivos, as demais compensam essa perda.

Quais os benefícios para as empresas-alvo?

A estratégia também é positiva para as empresas-alvo, que recebem investimento e incrementam sua operação ao se aliarem a grandes grupos, economicamente mais evoluídos: ganham eficiência e potencializam resultados que seriam mínimos se precisassem crescer organicamente.

Fusões e aquisições de franquias também garantem a continuidade de negócios financeiramente instáveis ou com dificuldades de se manter em um mercado altamente competitivo.

Esse impulso pode ajudar a rede a ganhar maior visibilidade, aproveitar novas oportunidades ou potencializar suas forças e diferenciais, como manter um quadro de funcionários altamente qualificado, ter capital de giro para enfrentar a iminência de uma crise ou se destacar com novos produtos ou serviços de qualidade atestados pelo mercado.

Além disso, a rede de franquias pode contar com uma nova visão de negócios, que podem ampliar sua capacidade de produção e de atender novos mercados.

Quais os desafios dessa transação?

Apesar de tantos pontos positivos, é preciso considerar a possibilidade de surgirem dificuldades com essa estratégia. Um dos maiores problemas enfrentados pelas empresas que passam por esse processo está relacionado à adaptação pós-fusão.

A cultura organizacional deve ser revista, mas não pode ser alterada sem planejamento, principalmente porque as pessoas podem se sentir temerosas, não só pelo período de adaptação, mas também pela possibilidade de perderem seus empregos.

Por isso, tão logo o processo é iniciado, é necessário criar uma estratégia de integração que minimize essa expectativa negativa, principalmente por parte das pessoas mais impactadas.

Isso, porque a integração não ocorre naturalmente, mesmo quando a transação é bem-sucedida. Nesse sentido, é essencial considerar os anseios das pessoas em relação aos seus cargos, a diversidade da cultura organizacional e a possibilidade de implementar novas ferramentas e processos.

Para isso, é necessário mapear todo o workflow em funcionamento e delimitar quais serão as mudanças necessárias para manter a eficiência após a transação, como a disponibilidade de treinamentos e cursos.

Em alguns casos, pode ser interessante contratar uma consultoria especializada, que oriente o melhor caminho e estabeleça os requisitos necessários para que a cultura organizacional também seja fundida, e não imposta pela adquirente.

As fusões e aquisições de franquias são uma grande oportunidade de crescimento para esse segmento. Sem essas transações, para incrementar a atuação no mercado e se tornar referência, seria demandado um alto volume de investimento.

Por meio das operações, é possível conquistar essa visibilidade e aumentar a capacidade de atuação rapidamente, sem onerar o fluxo de caixa do negócio.

Agora que você sabe como as fusões e aquisições de franquias pode garantir sua competitividade e permanência no mercado, entre em contato com a Deallink e conheça a ferramenta que pode viabilizar a efetividade da sua transação!

Powered by Rock Convert
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook
Facebook
LinkedIn
Instagram