Bem-vindo ao insight space Deallink

Um Data room virtual completo e seguro que atende todas as necessidades de um processo de M&A

Como funciona o compartilhamento de dados em transações financeiras?

Como funciona o compartilhamento de dados em transações financeiras?

Transações de M&A acontecem quando duas ou mais empresas se fundem em uma nova. Nesse contexto, o compartilhamento de dados é um dos requisitos mais importantes para promover o interesse da compradora e aumentar a efetividade do processo.

O sucesso desse processo está intimamente ligado ao planejamento adequado de todas as suas fases. Isso abrange a definição do valuation da empresa alvo, as indicações de interesse, os profissionais especializados que podem agilizar a efetivação do contrato e as ferramentas usadas para garantir mais acessibilidade e confidencialidade à informação.

O data room virtual é uma dessas ferramentas. A solução é um ambiente seguro no qual é possível armazenar e acessar documentos, principalmente em eventos significativos como as transações de M&A, mas também em transações jurídicas, financeiras e outros tipos de projetos colaborativos.

Quer entender como, de fato, esse compartilhamento de dados acontece? Continue a leitura deste post!

Como é feito o compartilhamento de dados em uma transação de M&A?

Fusões e aquisições avançam em um ciclo que abrange vários processos. Mas durante a fase de due dilligence, muitos aspectos precisam ser analisados. Essas considerações são atestadas por documentos da empresa-alvo e das pessoas que fazem parte da sua composição societária.

A oferta dos investidores é embasada no valuation da empresa e nas informações repassadas durante essa auditoria de transação. É o momento em que ocorre a conferência das informações fornecidas e a verificação das práticas de mercado utilizadas pela empresa-alvo.

Assim, nessa auditoria é feita a revisão das informações e análise de possíveis inconsistências ou inverdades nos dados apresentados nos relatórios. Como essa fase exige a avaliação de um grande volume de documentos, é preciso disponibilizar um ambiente que permita o acesso controlado, porém irrestrito, dos proponentes para que eles possam verificar a situação financeira, tributária, trabalhista e ambiental da empresa-alvo.

Quais informações são compartilhadas nesse contexto?

Muitas informações precisam ser disponibilizadas aos que assinaram a carta de intenções (LOI — Letter of Intent) na empresa-alvo. Elas compreendem desde a visão geral da empresa, com documentos básicos como estatuto social e suas modificações, licenças de funcionamento e lista atualizada dos diretores e acionistas, até contratos firmados e certificados obtidos.

Além disso, é preciso apresentar dados financeiros e fiscais de até cinco anos de operações, auditadas pelo profissional de contabilidade da empresa, com projeções de resultados, declarações de imposto, empréstimos adquiridos, cronogramas de contas a pagar e a receber e investimentos.

Veja mais alguns dados que devem ser compartilhados em transações de fusão e aquisição:

  • resumo de quaisquer questões de litígio ou arbitragem;
  • dados dos clientes e das vendas;
  • plano de comissão dos funcionários do setor de vendas;
  • portfólio de produtos;
  • relatórios setoriais;
  • pesquisas de satisfação do cliente;
  • dados dos ativos da empresa;
  • bens materiais de propriedade pessoal;
  • documentos relativos a locações;
  • documentos de propriedade intelectual;
  • resumo de patentes;
  • licenças de software;
  • marcas registradas;
  • acordos de confidencialidade ou não divulgação de terceiros;
  • dados dos contratos com os empregados e seus benefícios;
  • passivos trabalhistas;
  • contratos de terceirizados;
  • contratos com planos de saúde e plano odontológico;
  • seguros de vida;
  • resumo de contribuição junto à previdência social;
  • resumo de pagamentos de auxílios (exemplo: salário-família e vale-transporte);
  • dados de fornecedores;
  • acordos de fabricação, entre outros.

Qual é o papel de um data room neste processo?

Os data rooms são salas físicas rigidamente controladas e monitoradas onde acontece esse compartilhamento de dados. Esse formato foi virtualizado e avançou para um ambiente digital (em nuvem) no qual processos semelhantes acontecem, os chamados data rooms virtuais.

A diferença é que em uma sala física, a integridade dos documentos é comprometida por vários elementos, como intempéries e ações do tempo, além da dificuldade de organização da informação, altos custos de manutenção e monitoramento da estrutura.

Em salas físicas, os usuários também não têm a mesma acessibilidade do que em um ambiente virtual, que pode ser utilizado em qualquer horário do dia e de qualquer lugar. O controle é feito por meio da gestão de identidade e acesso e as certificações de uso são emitidas individualmente, para garantir o uso da solução apenas por pessoas a quem compete a visualização dos dados.

Isso agiliza o processo de due dilligence, principalmente quando as transações ocorrem entre pessoas que moram em locais geograficamente distantes. Além disso, possibilita a análise documental simultânea de inúmeros usuários proponentes e garante a segurança necessária para os dados compartilhados.

Como uma empresa especializada como a Deallink pode ajudar?

Um provedor de data room precisa ser confiável e disponibilizar uma estrutura robusta e com uma camada de segurança extra para o sucesso de um projeto, principalmente nas transações de M&A.

A plataforma da Deallink é de alta flexibilidade e agilidade e oferece essa segurança necessária para processos de due diligence, os documentos não são armazenados em cache do computador e sim nos servidores da empresa, localizados estrategicamente em oito cidades do país.

O ambiente é monitorado por profissionais altamente capacitados, 24 horas por dia, 7 dias por semana. A infraestrutura é devidamente preparada:

  • tem plano de recuperação de desastres;
  • faz backup contínuo;
  • tem conectividade de 60 Gbps com redundância;
  • PTT homologado pelo CGI.Br;
  • equipada com Managed Firewall;
  • o conteúdo é armazenado com criptografia SSL em 256-Bit.

É certificado internacionalmente pela Uptime Tier III, SSAE 16, ISAE 3402 Tipo II, ISO 20000 e ISO 27001. A plataforma reside em Data Center, que oferece monitoramento de segurança abrangente com balancing servers e com fonte de energia ininterrupta redundante.

O ambiente controlado e robusto de um data room virtual é a solução ideal para o processo de due diligence em transações de M&A. Além disso, por garantir os requisitos imprescindíveis para a informação — disponibilidade, integridade e confidencialidade —, é uma ferramenta indicada para processos judiciais, processos de propriedade industrial e outras transações financeiras e de compartilhamento de dados.

Agora que você sabe como usar um data room virtual para processos de negócio e compartilhamento de dados, que tal conhecer o data room virtual da Deallink? Entre em contato e veja como podemos garantir todas essas vantagens nas suas transações financeiras!

insight space

Os comentários estão fechados.