Saiba mais sobre as ameaças cibernéticas e como proteger sua empresa delas

6 minutos para ler

Segurança da informação é um dos temas que mais ganham espaço atualmente — e não é à toa. As ameaças cibernéticas têm crescido junto à imersão de públicos variados no universo digital, o que exige que as empresas comecem a se focar, cada vez mais, em se proteger e combater possíveis ciberataques.

A partir de 2018, os ataques cibernéticos voltados para indústrias e organizações passou a ganhar destaque, tendo um aumento de 47% em relação ao ano anterior. Em 2020, a expectativa é que o combate a esse tipo de problema se intensifique e permita que as empresas prosperem sem receios no ambiente online.

Se você deseja saber mais sobre as ameaças cibernéticas e maneiras de se proteger em relação a elas, continue lendo este artigo!

O que são ameaças cibernéticas?

Ameaças cibernéticas são perigos de violação a dados pessoais — como os do cartão de crédito, por exemplo — a credenciais de empresas e funcionários, acesso ilegal a informações internas de organizações e quaisquer riscos de invasão não autorizadas a informações confidenciais e que podem prejudicar os envolvidos.

Em suma, essas ameaças são ataques de hackers e indivíduos mal-intencionados. Eles visam usar o compartilhamento de dados e informações de pessoas e organizações para seu próprio benefício, prejudicando-as. Saber quais são as mais comuns, como se proteger delas, quais indústrias são mais visadas e quais males elas podem causar é fundamental. Confira a seguir!

Quais são as principais ameaças cibernéticas e como me proteger delas?

Não é incomum que empresas de todos os tipos temam os ciberataques. Porém o primeiro passo para se proteger em relação a elas é conhecê-las, algo que poderá ser feito a seguir. As principais ameaças cibernéticas conhecidas são:

  • malware, que engloba alguns vírus de computador, Worms, Cavalos de Troia (Trojans) e Spywares;
  • engenharia social, que usa das vulnerabilidades humanas para implantar Malwares em seus dispositivos e coletar informações. Um exemplo disso é o clique em um link estrategicamente plantado — e aparentemente confiável — que dá acesso ao hacker;
  • hacking, que é a invasão de plataformas, seja de software ou harware, que toma forma, especialmente, em bancos e governos;
  • credenciais comprometidas, que usam de ataques a gerenciadoras automáticas de senhas para coletar dados que estariam, até então, criptografados;
  • DDoS, que geralmente são relacionados à interrupção de sites a fim de extorquir a instituição em questão ou chamar atenção para algo.

A melhor forma de se proteger contra ameaças cibernéticas, sem dúvida, é a prevenção. Por meio da chamada “Inteligência de Ameaças Cibernéticas”, do inglês Cyber Threat Intelligence — CTI —, é possível utilizar-se de tecnologia para garantir o acesso a tempos de detecção e remediação eficientes e que impedem que a ameaça chegue até seu destino.

Contexto

A ideia de contexto também é muito importante para a inteligência cibernética, visando entender o comportamento dos ciberataques. Isso inclui a análise de indicadores de risco em relação à visibilidade do episódio, ou seja, o quão autônomo um malware, por exemplo, se mostra.

Diversos outros pontos estão inclusos na tecnologia usada pelos programas de prevenção de ameaças da inteligência cibernética. Em um contexto geral, é importante entender não só que é possível evitar as investidas, mas identificá-los rapidamente, combatê-los e prevenir novos ataques.

Quais as indústrias mais visadas para ciberataques?

Após conhecer as principais ameaças cibernéticas, é importante ter em mente que seu foco não é generalizado. No ano passado, uma carteira de risco cibernético foi apresentada e listou as 10 principais indústrias visadas pelos cibercriminosos. Abaixo, estão as 5 principais.

  • Com uma porcentagem de 63%, a indústria de manufatura é a mais visada.
  • Em segundo lugar ficou o setor de Comunicação, Mídia e Tecnologia, com 41% de porcentagem.
  • Com uma porcentagem de 37%, a indústria de Educação também se mostra visada.
  • Em seguida tem-se o Atacado e Varejo, com uma porcentagem de 30%.
  • Em quinto lugar ficaram as instituições financeiras, com 28%.

É claro que toda organização pode estar exposta ao ciberataque, sendo fundamental entender de que forma ele pode prejudicar as transações de uma empresa, violar seus dados e afetar sua saúde. Confira mais sobre o tema a seguir.

Como as ameaças cibernéticas podem prejudicar as transações de uma empresa?

Além de ter acesso a informações pessoas e que ditam, muitas vezes, o sucesso e o futuro das empresas, os ataques cibernéticos ainda comprometem sistemas inteiros, colocam em risco a integridade de seus dados internos, expõe as organizações a risco de extorsão e muito mais. Uma das melhores formas de evitar esses males, além de treinamentos interno, é o uso de certificados de segurança e de um bom Data Room Virtual. Entenda.

A quais certificados de segurança devo ficar atento ao escolher minha plataforma de cloud?

Ao compreender os males que podem acometer sua empresa por meio das ameaças cibernéticas, se torna mais simples buscar por maneiras de evitar que eles tomem forma. Existem diversas formas de neutralizar ciberataques — especialmente por meio do uso de um bom Data Room Virtual, que dá acesso a uma plataforma completa e criptografada para quem busca por segurança.

Além disso, ela conta com certificados de segurança já conhecidos por sua eficácia no que diz respeito a ameaças cibernéticas. Eles serão explicados a seguir.

ISO 27001

Padrão de referência internacional de segurança da informação. Ele dita as práticas mais recomendadas na hora de gerenciar esse quesito nas organizações e foi publicado pelo International Organization for Standardization e pelo International Electrotechnical Commission.

SSAE16

Certificado de declaração de normas e compromissos, atuando como um relatório de controle adequado para prestadores de serviço. Ele substituiu o SAS 70 e é, hoje, uma das maneiras mais adequadas de garantir segurança para as empresas.

ISAE 3402 Tipo II

Certificação também internacional concedida a empresas que desejam ter a certeza de que estão cumprindo as normas, técnicas, recomendações e práticas mais recomendadas possíveis de segurança em relação aos padrões estabelecidos. Estar em compliance em relação a ela é fundamental.

Proteger empresas de todos os tipos de ameaças cibernéticas é algo essencial para que a segurança da dados seja mantida e que suas transações sejam realizadas com a segurança necessária para contribuir para um futuro de sucesso.

Se você gostou de saber mais sobre as principais ameaças cibernéticas, seus efeitos e formas de combatê-las, não deixe de espalhar esse conhecimento e compartilhe este conteúdo nas redes sociais!

Posts relacionados